Vacina contra febre amarela é indicada apenas para áreas de risco

Infectologistas alertam para vacinação desnecessária; dose pode gerar reações adversas que prejudicam especialmente idosos, gestantes e mulheres em fase de amamentação

Com os novos casos de febre amarela registrados no Estado de São Paulo, a procura pela vacina nas unidades de saúde está aumentando, mas a vacina só deve ser aplicada nas pessoas que vivem ou vão viajar para áreas consideradas de risco ou onde há ou já houve registros da doença, o que não é o caso de São Pedro, que não tem nenhum registro de febre amarela.

Membros da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) ressaltam que a vacina pode gerar reações adversas, que prejudicam especialmente idosos, gestantes e mulheres em fase de amamentação.

Gislene Nicolau dos Santos, coordenadora da Vigilância em Saúde de São Pedro explica que aumentou a procura pela vacina nas unidades, mas é preciso tomar alguns cuidados. “A vacina pode ter reações adversas e a recomendação, por exemplo, para crianças menores de seis meses, é não viajar para as áreas de risco”, explica, ressaltando também ser fundamental a apresentação da carteirinha de vacinação, justamente para evitar a imunização desnecessária.

“As pessoas devem preocupar-se também em manter o quintal sempre limpo, para evitar os criadouros de Aedes aegipti, causador da dengue, zika e chikungunya.”, destaca.

De acordo com o Ministério da Saúde, houve 40 mortes por causa da febre amarela no país e 72 casos confirmados, de acordo com boletim divulgado pela pasta. Casos suspeitos da doença foram registrados em 78 municípios de 7 Estados. Minas Gerais é o Estado que registra o maior número de casos: 68. ORIENTAÇÃO - A Secretaria de Saúde de São Paulo recomenda a vacinação contra febre amarela com pelo menos 10 dias de antecedência para quem vai viajar para áreas consideradas de risco. A prioridade é para indivíduos a partir de nove meses de idade, residentes ou que se dirijam especificamente para áreas silvestres, ribeirinhas e de mata dos municípios da região de Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Araçatuba, Jales, São José do Rio Preto, Barretos, Franca, Ribeirão Preto, Araraquara, Bauru, Marília, Assis, Botucatu, Itapeva, São João da Boa Vista e parte da região de Sorocaba. Pessoas que vão para áreas urbanas destas cidades ou outros municípios do país não têm a recomendação de vacinação. No Brasil, há uma extensa área de recomendação para vacinação contra febre amarela incluindo o Distrito Federal e vários Estados (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Maranhão e Minas Gerais), além de parte dos estados da Bahia, Piauí, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Informações importantes sobre a febre amarela:

– A febre amarela não é contagiosa; – É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela; – Entre os sintomas iniciais estão calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos e fadiga; – Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos; – Consulte um médico antes de tomar a vacina;

  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.