Saúde alerta sobre riscos da dengue

dengue001  A Secretaria Municipal de Saúde e Desenvolvimento Social faz um alerta à população para evitar novos casos de dengue em São Pedro. Em 2015 foram confirmados 24 casos na cidade e o maior número de ocorrências da doença provocada pelo mosquito Aedes aegypti concentra-se nos bairros São Judas e Jardim São Pedro. Responsável pela Vigilância em Saúde no município, Gislene Nicolau dos Santos explica que quando há confirmação de casos, a equipe de endemias vai até a residência da pessoa e na vizinhança para fazer o bloqueio.“Na maioria das casas encontramos focos. A população precisa estar alerta e cuidar bem dos espaços para evitar a transmissão. Mesmo em casos de vasilhas vazias, é preciso lavar bem com bucha e sabão para evitar a proliferação das larvas e os ovos, que podem durar até dois anos”, disse. Para alertar sobre os perigos da doença, a Saúde fez distribuição de folhetos de orientação em fevereiro e no ano passado promoveu arrastões e nebulização de bairros com maior incidência de casos. “É preciso reforçar que cada um é responsável por manter seu quintal limpo. Se todos fizerem a sua parte, a situação fica sob controle”, disse Gislene. O início do ano, por conta das chuvas e de altas temperaturas, é o período de maior transmissão da dengue em todo o país. O primeiro balanço do Ministério da Saúde de 2015 registrou um aumento de 57,2% dos casos notificados no mês de janeiro, comparado ao mesmo período do ano passado. Foram 40.916 notificações no primeiro mês de 2015, contra os 26.017 em janeiro de 2014. Quando os números foram divulgados pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro em fevereiro, o ministro chamou a atenção para o aumento dos casos no primeiro mês do ano. “Precisamos focar nas medidas de prevenção, eliminando os criadouros do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti”, afirmou. O coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Coelho, ressaltou que cerca de 70% dos focos do mosquito Aedes aegypti estão em residências. “Em 15 minutos semanais é possível fazer uma vistoria em casa e acabar com qualquer possível criadouro do mosquito. Toda a vizinhança precisa se engajar no combate ao mosquito”, convocou Giovanini. O coordenador alertou também para o hábito das pessoas de estocar água em casa, especialmente neste período de estiagem. “Acumular água em casa sem proteção, sem que os vasilhames estejam corretamente fechados, facilita a reprodução do mosquito transmissor da dengue”, ressaltou o coordenador, lembrando que não pode deixar também de considerar os outros fatores de risco para a procriação de mosquitos, como calhas, pneus, brinquedos, caixas d’água destampada, vasilhas de água para animais.   PREVENÇÃO – Para evitar a proliferação dos mosquitos causadores da dengue e também da chikungunya é preciso adotar algumas medidas de prevenção, como manter as caixa d’águas e outros recipientes de armazenamento de água fechados; colocar as garrafas com a boca para baixo; não deixar a água acumulada sobre a laje ou calhas; manter a lixeira fechada; colocar areia nos pratos das plantas, entre outras.  
  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.