São Pedro vai receber mais R$ 8,1 milhões para tratamento de esgoto

reuniaoextrema

Recursos liberados para 1ª fase da ETE, já em execução e esta 2ª etapa, representam quase 20% do Orçamento municipal

Reunião dos Comitês PCJ (dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí) realizada  nesta sexta-feira, 24, em Extrema (MG), confirmou a liberação de outros R$ 8,1 milhões para o tratamento de esgoto em São Pedro. O projeto da 2ª etapa da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Samambaia e do coletor tronco, linha de recalque, estação elevatória de esgoto Pinheirinho e coletor tronco Samambaia foi um dos 21 indicados para receber recursos da Cobrança Paulista PCJ.

“Esta é mais uma conquista a ser comemorada e que completa o grande passo dado em relação ao tratamento de esgoto na cidade. Tudo foi feto com base em planejamento e projetos que levam em conta o desenvolvimento sustentável de São Pedro”, disse o prefeito Helinho Zanatta, que participou da reunião acompanhado do presidente do Saaesp (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro), Sérgio Patricio.

“O município de São Pedro ficou em primeiro lugar, entre mais de 50 cidades, quanto ao volume de recursos conquistados para sistemas de esgotos”, destaca o consultor técnico do Saaesp, José Augusto de Barros Seydell.

Para a implantação da primeira fase da ETE, obra já licitada e em execução, foram liberados outros R$ 10,5 milhões, considerada a contrapartida do município. Juntos, os recursos representam quase 20% do Orçamento de 2016 de São Pedro, estimado em R$ 97,8 milhões.

Para a execução do projeto que vai receber recursos agora foram considerados dados apontados no Plano Municipal de Saneamento, elaborado em 2013. “A Administração Municipal foi buscar recursos para complementar o que já estava em andamento – a ETE Samambaia, localizada ao lado da rodovia”, explica Seydell. Nesta etapa também estão previstos o transporte de esgoto do bairro Santa Mônica para esta ETE. Quando as duas etapas forem concluídas, a ETE terá capacidade para atender população de 40.000 habitantes.

“A despoluição do córrego Pinheirinho será feita através da construção do coletor tronco, ou seja, uma tubulação nas margens do córrego, com 1.900 metros de extensão e diâmetro 300 mm, incluindo uma Estação Elevatória, que deverá receber os esgotos, hoje lançados in natura, causando a poluição hídrica e prejudicando a qualidade de vida da população”, explica o consultor técnico. Do mesmo modo, será executado o coletor do ribeirão Samambaia, numa extensão de 800 metros, com diâmetro de 350 mm.

Os recursos foram requisitados ao Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) e são provenientes da cobrança pelo uso da água pelos Comitês PCJ.

SELEÇÃO - De 52 projetos protocolados inicialmente na Agência das Bacias PCJ, 29 apresentaram toda a documentação exigida e foram aprovados, mas, no primeiro momento, apenas 21 poderão ser indicados pelos Comitês PCJ por conta da disponibilidade de recursos financeiros.

[caption id="attachment_10915" align="alignnone" width="1300"]DCIM101MEDIADJI_0004.JPG DCIM101MEDIADJI_0004.JPG[/caption]
  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.