Reformas, ampliações, obras e custeio da Saúde consumiram R$ 44 milhões

      [caption id="attachment_5022" align="alignnone" width="300"]UBS Dorothea UBS no bairro Dorothea em construção[/caption] [caption id="attachment_5018" align="alignnone" width="300"]upaatual Sala de raio X na UPA[/caption] [caption id="attachment_5019" align="alignnone" width="300"]upapronta sala de emergência da UPA[/caption] [caption id="attachment_5020" align="alignnone" width="300"]reforma UBS São Dimas UBS São Dimas foi reformado[/caption] reforma UBS Construção de duas UBSs (Unidade Básica de Saúde) nos bairros Dorothea e Bela São Pedro, obras de reforma e ampliação em quatro unidades – PSF Alpes das Águas, UBS Santo Antonio, Centro de Saúde Bucal e ESF São Dimas, aumento do número das ESF (Equipe Saúde da Família), adesão ao Programa Mais Médicos e compra de equipamentos estão entre as principais ações realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde em 2014. Entre investimentos e custeio, a pasta consumiu cerca de R$ 44 milhões este ano. As reformas e construções têm como objetivo principal a descentralização da atenção básica. No primeiro semestre de 2015, quando as reformas e obras das novas UBSs forem concluídas, a população de vários bairros vai ter mais próximo de casa a possibilidade de ter um médico que acompanhe o histórico de saúde de todos os integrantes da família. “O foco maior é na prevenção. Os acompanhamentos acontecem antes de a pessoa ficar doente”, explica a secretária municipal da Saúde e Desenvolvimento Social, Miriam de Souza Silva. “A saúde era uma das áreas mais críticas de São Pedro. Tínhamos uma série de problemas no hospital, na UPA, nas unidades em condições precárias de uso. Definimos ações para recuperar toda esta situação a curto, médio e longo prazo com o objetivo de melhorar a saúde cada vez mais”, disse o prefeito Helinho Zanatta Hoje, os atendimentos em São Pedro estão concentrados na Umis (Unidade Mista Integrada de Saúde) e a descentralização, apontada como prioridade na IV Conferência Municipal de Saúde – evento que reuniu moradores de vários bairros para avaliar e sugerir mudanças na saúde municipal - pretende mudar este perfil, reforçando o elo entre pacientes e médicos generalistas que atendem nas UBSs e nos PSFs. Nas reformas e ampliações das quatro unidades, o investimento é de R$ 425 mil. Já na construção das duas UBSs, aproximadamente R$ 1 milhão, considerados os investimentos do governo federal e a contrapartida municipal. Cada UBS nova vai atender população de aproximadamente 5.000 pessoas. Para atuar nas novas unidades serão formadas equipes com no mínimo, médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e seis agentes de saúde. As novas unidades vão atender consultas agendadas e a chamada demanda espontânea, formada por pessoas que precisam de atendimento, mas não marcaram consulta antecipadamente. No caso das equipes do PSF, a população estimada para atendimento de cada uma das equipes – atualmente são 5, contra uma em 2013 – é de 3.000 pessoas. A melhora do acesso dos moradores dos bairros aos serviços de saúde é outro reflexo da mudança na infraestrutura da rede municipal. Unidades mais próximas de casa permitem melhora da organização das redes de atenção básica e identificação mais específicas da necessidade de cada área. EQUIPAMENTOS – Em busca de melhorias na gestão e na qualidade do atendimento prestado na rede municipal de saúde, a Prefeitura de São Pedro investiu R$ 2,6 milhões na compra de equipamentos. Foram R$ 827,9 mil usados para a compra de equipamentos em 2013 e outro R$ 1,8 milhão previsto e ou executados em emendas parlamentares estaduais e federais autorizadas para o período 2014/2015. Com esses recursos foram comprados itens como aspirador cirúrgico, cardioversor, desfibrilador, concentrador de oxigênio, laringoscópio, monitores, suportes de soro, escadas, eletrocardiógrafo, negatoscópio, oftalmoscópio, otoscópio cirúrgico, mesas ginecológicas, inaladores e gerador. Entre os equipamentos adquiridos estão também 2 aparelhos de Raios-X odontológico, 17 armários, 4 autoclaves, 13 balanças antropométricas, 5 cadeiras de odontologias e 5 cadeiras de rodas. Outra mudança que entra em vigor no ano que vem é o uso da fibra óptica em toda a rede municipal, o que vai melhorar a comunicação entre as unidades de saúde e gerar economia aos cofres públicos. O prontuário do paciente vai ficar acessível à equipe médica em qualquer unidade de atendimento, permitindo um diagnóstico mais preciso, com base em todo seu histórico de saúde registrado em atendimentos anteriores. PLANOS PARA 2015 – No planejamento da Secretaria da Saúde para 2015 estão a contratação de mais profissionais do programa Mais Médicos, aumento das equipes do Programa Saúde da Família e a implantação do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), equipe de profissionais de diferentes áreas que devem atuar de maneira integrada como apoio aos profissionais das Equipes Saúde da Família. Devem integrar a equipe assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional, além de outros profissionais.     Com equipamentos de ponta, UPA começa a funcionar em 2015   Após um longo processo que inclui regularização de área, término das obras físicas, mudança na rede elétrica, compra de equipamento e adaptações para evitar entrada de água da chuva, a UPA de São Pedro deve começar a funcionar entre janeiro e fevereiro de 2015. As adaptações e obras que garantem condições adequadas de atendimento à população estão sendo finalizadas, assim como os equipamentos de ponta destinados ao atendimento de urgência e emergência estão sendo testados. Só em equipamentos adquiridos para a UPA foram investidos R$ 600 mil. Paralelamente a estas atividades, estão sendo finalizados os processos de seleção e treinamento de pessoal. A equipe, formada por aproximadamente 70 profissionais, sem contar os médicos, vai passar por treinamento específico para profissionais que atendem em UPAs. A UPA de São Pedro tem oito leitos. A unidade é equipada com raio-X digital, aparelho para realização de eletrocardiograma, sala de emergência, sala para aplicação de medicamentos, recepção e toda a estrutura para garantir qualidade de atendimento ao paciente de pronto atendimento. As mesmas regras usadas no pronto-socorro da Santa Casa, que deixará de funcionar, serão usadas também na UPA. Os pacientes são identificados de acordo com o protocolo de Manchester, sistema que classifica, após uma triagem baseada nos sintomas, por cores que representam a gravidade e o tempo de espera recomendado para atendimento. Aos doentes com patologias mais graves é atribuída a cor vermelha, atendimento imediato; os casos muito urgentes recebem a cor laranja, com um tempo de espera recomendado de dez minutos; os casos urgentes, com a cor amarela, têm um tempo de espera recomendado de 60 minutos. Os doentes que recebem a cor verde e azul são casos de menor gravidade (pouco ou não urgentes) que, como tal, devem ser atendidos no espaço entre duas e quatro horas. Depois que entrar em funcionamento, a UPA vai receber R$ 100 mil mensais do governo federal, verba que precisará ser complementada para o atendimento de aproximadamente 200 pessoas por dia. Após três meses de funcionamento e nova avaliação do Ministério da Saúde, a Prefeitura vai pleitear o aumento deste repasse para R$ 175 mil mensais.  
  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.