Movimento Maio Amarelo chama a atenção para o trânsito

Para chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no  trânsito em todo o mundo, foi criado o movimento Maio Amarelo. A intenção é colocar em pauta o tema segurança e mobilizar toda a sociedade para engajar-se em ações e propagar conhecimento ao abordar diversas questões relativas ao trânsito. Em São Pedro, foram realizadas atividades nesta quarta-feira para chamar a atenção para o assunto, como uma aula aberta de ginástica com várias pessoas usando uma peça de roupa amarela e a pintura de uma vaga reservada para deficientes na praça da matriz Gustavo Teixeira.

Um dos objetivos da ação é despertar em motoristas e pedestres a importância de tornar o trânsito mais seguro e humano, com respeito às leis, como uso de cinto de segurança, respeito à vaga de idosos e deficientes, uso correto da faixa de pedestres.

Também estão previstas até o final do mês blitz educativas realizadas em conjunto pela Polícia Militar, Guarda Civil Municipal e Coordenadoria de Trânsito, além de uma caminhada, sempre com o objetivo principal da conscientização.

O vice-prefeito e diretor-presidente do Saaesp (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro) Thiago Silva, acompanhou as atividades e participou da pintura da vaga reservada para deficientes.

As atividades foram realizadas pela Secretaria de Turismo, Cultura, Esportes e Lazer e Coordenadoria de Trânsito.

TRÂNSITO MAIS SEGURO – Outra ação que será realizada em São Pedro é a entrega de folhetos com informações fundamentais na prevenção de acidentes, como uso de cinto de segurança, respeito à faixa de pedestres, respeito ao ciclista e as combinações que podem ser fatais, como bebida e direção e uso de celular enquanto dirige.

NÚMEROS - O período de 2011 a 2020 foi definido como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito” pela ONU (Organização das Nações Unidas). A OMS (Organização Mundial da Saúde) contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU com a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito” é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020.

O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

De acordo com o Relatório Global de Segurança no Trânsito 2013, publicado pela OMS recentemente, 88 países membros conseguiram reduzir o número de vítimas fatais. Por outro lado, esse número cresceu em 87 países.

A chave para a redução da mortalidade, segundo o relatório, é garantir que os estados-membros adotem leis que cubram os cinco principais fatores de risco: dirigir sob o efeito de álcool, o excesso de velocidade, não uso do capacete, do cinto de segurança e das cadeirinhas. Apenas 28 países, que abrigam 7% da população mundial, possuem leis abrangentes nesses cinco fatores.

  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.