Inaugurações na área de saneamento somam investimentos de R$ 33,2 milhões

ETE, troca de rede de água, Central de Controle Operacional e laboratório estão entre as obras que serão apresentadas oficialmente nos dias 4 e 5 de dezembro

Na agenda de inaugurações programadas pela Prefeitura de São Pedro até o final do ano, o destaque do início de dezembro são as obras de saneamento, que representam investimentos de R$ 33,2 milhões, valor que inclui verbas do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) e municipais.

A obra de maior relevância é a ETE Samambaia “Professor José Augusto Rego Barros Seydell”, já em funcionamento no bairro Vale do Sol, com capacidade para tratar esgoto produzido por 40 mil pessoas e de toda área urbana do município. A inauguração desta obra que recebeu investimentos de R$ 17,8 milhões está programada para as 9h do dia 5 de dezembro. Por conta de São Pedro receber a classificação da fase amarela do Plano São Paulo, a inauguração será transmitida ao vivo pelo Facebook da Prefeitura de São Pedro (https://www.facebook.com/prefeituradesaopedro)

A capacidade de tratamento da ETE é de 90 l/s, o que significa que 64,8 toneladas de matéria orgânica por mês deixam de ser despejadas nos ribeirões que abastecem a cidade. 

“Este é um marco para a história de São Pedro”, afirma o vice-prefeito, ex-diretor-presidente do Saaesp (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro) e prefeito eleito, Thiago Silva.

Atual diretor-presidente do Saaesp, Giovane Genezelli, explica que o processo de tratamento da ETE Samambaia é considerado um dos mais modernos, com medição de vazões, tratamento preliminar (sujeiras grossas), tratamento secundário, concepção integrada de reatores aeróbios e anaeróbios, queima de gás, desinfecção e tratamento do lodo gerado, além de estação elevatória, 2.500 metros de linha de recalque e 80 metros de coletor de interligação.

Os investimentos incluem também implantação do sistema complementar de afastamento, coletor tronco, linha de recalque e estação elevatória, obras que garantem o ‘caminho’ do esgoto coletado nos bairros até a ETE

São 14,5 km de coletores instalados. O ‘caminho’ tem início no bairro São Dimas II, com passagem pela Estação Elevatória do Santa Mônica, ruas João Baptistela Siloto, João Sobrinho,  avenida dos Imigrantes, rua Manoel Aranha, no bairro Vale do Sol e ETE Samambaia.

O Saaesp é um dos órgãos que mais recebeu recursos do Fehidro nos últimos anos. Desde 2014, foram R$ 32,6 milhões, fora a contrapartida do Saaesp de R$ 3,5 milhões, utilizados em obras relacionadas ao tratamento de esgoto e água.

Além da ETE Samambaia, há a ETE do Horto Florestal, que está com as obras 90% concluídas e vai garantir tratamento de esgoto de 10 mil pessoas, com retirada dos córregos de 19,4 toneladas mensais de matéria orgânica. Nesta obra, o investimento foi de R$ 5,9 milhões.

Na lista de obras realizadas com recursos do Fehidro estão outros destaques, como a construção da Estação de Tratamento de Lodo, responsável pela economia de 2,4 milhões de litros de águas por mês, antes descartados após a lavagem dos filtros utilizados no sistema de tratamento de água da ETA (Estação de Tratamento de Água) 1, que abastece 70% de São Pedro.

PLANO DE SANEAMENTO – O prefeito Helinho Zanatta destaca que a inauguração da ETE é uma etapa importante de um processo iniciado há bastante tempo, com elaboração de toda documentação, projetos e solicitações de recursos ao Fehidro. “A obra concretizada é o resultado de todo este empenho. É um benefício importante para toda a população, com melhora da qualidade de vida”. A obra também foi prevista no Plano Municipal de Saneamento e na Agenda 2025.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

18 km de redes foram substituídos

Outra inauguração programada é a da troca de redes de água, da Central de Controle Operacional e do novo laboratório do Saaesp. O evento, previsto para o dia 4 de dezembro, vai destacar as obras realizadas para a troca de 18 km das redes de água em São Pedro. Os investimentos só na troca de rede somam R$ 9,4 milhões, considerados os recursos do Fehidro e a contrapartida do Saaesp de R$ 1,1 milhão.

O principal ganho desta obra, que segue orientação do Plano de Combate às Perdas realizado com recursos da Agência das Bacias PCJ, é o combate às perdas de água. Como são canos bem antigos, alguns de ferro e amianto que nunca foram substituídos, grande quantidade da água que sai dos reservatórios do Saaesp (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro) fica no caminho antes de chegar aos imóveis atendidos pela rede de água.

Com as obras, o índice de perda que já foi de 50%, deve ficar entre 20% e 25%. Outras ações de combate às perdas já foram implantadas no município, como a Estação de Tratamento de Lodo, inaugurada em maio de 2017 e troca de hidrômetros.

Toda a obra de troca de rede é feita com o chamado Método Não Destrutivo – MND, que não abre valas, e é planejado para causar o menor impacto possível na rotina dos munícipes. Outro diferencial é o uso de PEAD (polietileno de alta densidade) para as tubulações, material que praticamente não tem emendas, índice de vazamento próximo do zero e que agrega vantagens econômicas e técnicas, com durabilidade estimada em 100 anos.

Neste pacote estão ainda a setorização e instalação de válvula redutora de pressão automatizada e telemetrizada.

Na Central de Controle Operacional (CCO) um sistema de aproximadamente 23 mil metros de cabos ópticos e 50 câmeras garante o monitoramento 24 horas diárias dos reservatórios, além de automatização de válvulas e do sistema captação. “É uma maneira eficaz de eliminar falhas e melhorar a qualidade do serviço prestado”, afirma o presidente do Saaesp.

QUALIDADE DA ÁGUA – O novo laboratório de análises do Saaesp foi planejado para realizar as análises microbiológicas qualitativas e testar a potabilidade da água distribuída para consumo humano, isto é, ausência do risco de contaminação por microrganismos causadores de doenças. São feitas aproximadamente 1.600 análises deste tipo por ano pela autarquia. O investimento, do próprio Saaesp, foi de R$ 11,6 mil.

Além de inovação e tecnologia, a economia prevista com o laboratório próprio é de aproximadamente R$ 50 mil ao ano com a realização dos ensaios semanais que anteriormente eram realizados por um laboratório terceirizado.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Autoria: Prefeitura de São Pedro

Publicado em: 02/12/2020 15:34

  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.