Dorothea, Nova Estância e Mariluz 1 recebem arrastão neste sábado, dia 18

      [caption id="attachment_6111" align="alignnone" width="300"]A equipe do Tiro de Guerra também retirou entulhos de terrenos baldios A equipe do Tiro de Guerra participa das ações[/caption] [caption id="attachment_6112" align="alignnone" width="300"]A equipe tirou muitos entulhos pesados das residências Vários tipos de entulho foram retirados das casas[/caption] [caption id="attachment_6114" align="alignnone" width="199"]Plástico que cobria telhas acumulou água e já tinha larvas do mosquito Plástico usado para cobrir telhas acumulou água e virou 'berçário' de mosquitos[/caption] [caption id="attachment_6116" align="alignnone" width="300"]Uma das vasilhas encontradas pelos agentes tinha aproximadamente 50 larvas Uma das vasilhas encontradas pelos agentes tinha aproximadamente 50 larvas[/caption] [caption id="attachment_6113" align="alignnone" width="300"]Os moradores dos bairros colaboraram com as equipes e abriram seus portões para retirarem os entulhos que acumulam água Moradores colaboraram com a operação[/caption] [caption id="attachment_6115" align="alignnone" width="300"]Thiago Silva encontrou com a equipe para ver o material recolhido Equipe reunida[/caption]         Os bairros Dorothea, Nova Estância e Mariluz 1 serão os visitados pelas equipes da Vigilância Epidemiológica e  Tiro de Guerra no sábado, dia 18 de abril. Será o quarto arrastão da Operação Combate à Dengue realizada pela Prefeitura de São Pedro, que nos três anteriores recolheu 11 toneladas de entulho em 8 bairros.   O maior volume de entulho –  5 toneladas – foi recolhido no arrastão do dia 11, realizado nos bairros Horto Florestal e São Tomé. O principal objetivo destas ações é recolher material que pode ser transformado em criadouro do Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue.   Veterinário da Vigilância em Saúde, Matheus Murbach destacou a colaboração dos moradores do Horto Florestal e São Tomé, fato que tornou a ação mais produtiva. “Estamos orientando a população para os riscos de alguns materiais que acumulam água e estimulando a inspeção pelos próprios moradores”, disse, ressaltando também que locais aparentemente “seguros” podem se transformar em focos do mosquito. “Um dos locais onde havia larvas era um saco plástico que estava cobrindo material de construção”, contou. Murbach destacou ainda o descarte de entulho em terrenos vazios, motivo de preocupação, já que o material descartado pode acumular água e ser transformado em “berçário” de larvas do mosquito.   O prefeito Helinho Zanatta acompanha a realização das ações e determinou que a equipe intensifique esforços nos trabalhos de combate à dengue, que incluem nebulizações em vários locais de grande circulação, bloqueio nas residências e na vizinhança de quem tem o diagnóstico confirmado e divulgação de medidas para evitar a doença.   Os agentes de saúde do PSF (Programa Saúde da Família) também reforçaram nas visitas domiciliares os cuidados que devem ser adotados para evitar a proliferação do mosquito e a incidência da doença.   Avaliações feitas por especialistas em epidemiologia indicam que no Estado de São Paulo, o pico dos casos de dengue deve ocorrer em maio, o que exige ainda mais atenção de todos para eliminar os criadouros.  
SINTOMAS – Os sinais da dengue só começam a surgir após o período de incubação, que pode durar de 3 a 15 dias. Os principais sintomas da doença são febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, náuseas e vômito, manchas e erupções na pele, principalmente no tórax e em membros superiores, cansaço extremo e indisposição.   Já na forma hemorrágica, além dos sintomas citados, o paciente pode ter sangramentos, e em alguns casos, choque e morte. Em caso de suspeita de dengue, o serviço de saúde mais próximo deve ser procurado imediatamente.   Vale ressaltar que não existe transmissão por meio de contato direto de um doente com uma pessoa sadia. O vírus também não é transmitido pela água ou alimentos.   PREVENÇÃO – Para evitar a proliferação da dengue, é preciso adotar algumas medidas consideradas fundamentais, como manter a caixa d’água sempre fechada, encher pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda, guardar garrafas sempre com a boca para baixo, remover galhos, folhas e tudo o que possa impedir a água correr pela calha, guardar pneus em locais cobertos e abrigados da chuva, colocar o lixo em sacos plásticos, manter a lixeira bem fechada e piscinas sempre limpas e cloradas.    
  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.