Controle de Endemias intensifica ações de prevenção contra Aedes aegypti

O Controle de Endemias, departamento da Secretaria de Saúde e Desenvolvimento Social de São Pedro, intensifica na semana de 8 a 12 de novembro, dedicada à mobilização para prevenção das arboviroses – doenças causadas por arbovírus como insetos e aracnídeos  -  ações para combater a proliferação de doenças como a dengue, zika, e chikungunya.  

Este ano, pela primeira vez, a mobilização do Estado envolve também o combate a escorpiões. O objetivo da ação é chamar a atenção de toda a sociedade para atividades focadas na prevenção das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor dessas arboviroses.

A mobilização visa também reduzir as chances de que a população sofra ataques de escorpiões que, assim como o Aedes, podem se proliferar com maior facilidade no período de chuvas.

As atividades incluem visitas de agentes às residências e medidas de conscientização da população para adotar cuidados simples e que podem ser feitos diariamente.

“Pedimos a colaboração de todos nesta Semana de Mobilização e que as atividades que realizarmos neste período se tornem parte da rotina da população. Combater o Aedes e também os escorpiões é uma tarefa coletiva”,  destacou o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, ao comentar sobre as atividades da semana.

Para Matheus Murbach, do Controle de Endemias em São Pedro, é importante que as pessoas recebam bem os profissionais que orientam sobre as ações de combate à dengue e outras doenças e sigam as orientações como uma rotina. “Se todos trabalharmos juntos para combater essas doenças, com adoção de medidas para evitar criadouros, o resultado será muito melhor”. 

NÚMEROS – Em São Pedro, foram registrados, em 2021, 12 casos positivos de dengue e 75 negativos. No Estado, a situação é de queda em relação a 2020. Foram 137,7 mil casos até outubro contra 192,7 mil no mesmo período do ano passado.

Dengue, zika e chikungunya  podem ser prevenidas com a eliminação de criadouros do Aedes. Vasos, pratos de plantas, ralos, lajes, calhas e piscinas são recipientes que registraram aumento nos índices de incidência de larvas.  Caixas d’água, embalagens vazias, entulhos de construção, sucatas, pneus e plantas, ocos de árvore e bambu também são locais possíveis para proliferação. A limpeza adequada e regular, assim como a eliminação destes recipientes em quintais e espaços abertos, são fundamentais para evitar que o mosquito deposite seus ovos.

ESCORPIÕES - Manter jardins e quintais limpos, evitar o acúmulo de entulho, folhas secas e lixo doméstico, manter a grama aparada, sacudir roupas e sapatos antes de usá-los e usar telas em ralos do chão, pias ou tanques são as maneiras mais eficazes de evitar qualquer ataque de escorpião.

Em casos de acidentes com qualquer animal peçonhento, como é o caso do escorpião, é preciso procurar o serviço de saúde mais próximo para receber o tratamento o mais rápido possível. Higienizar o local da picada com água e sabão e aplicar compressa morna auxiliam a reduzir a dor. Se possível, é recomendável capturar o animal e levar ao serviço de saúde, desde que isso seja feito com segurança e não demore, pois a prioridade é o atendimento médico urgente.

Não deve ser feito torniquete, garrote ou curativo que feche a ferida para evitar infecções; também não espremer ou sugar o local da picada; não aplicar qualquer tipo de substância (álcool, querosene, fumo, ervas, pó de café, terra). Gelo ou água fria acentuam a dor e, por isso, não é recomendado o uso.

Publicado em: 16/11/2021 08:16

  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.