Arrastões recolheram 13,5 toneladas de entulho

Os moradores dos bairros colaboraram com as equipes e abriram seus portões para retirarem os entulhos que acumulam água O arrastão realizado no bairro São Dimas no último sábado pela Operação Combate à Dengue recolheu 2,5 toneladas de entulho que poderiam ser transformadas em  criadouros do mosquito Aedes aegypt, transmissor da dengue. Em seis arrastões realizados pela Prefeitura de São Pedro, 13,5 toneladas de material inservível foram retiradas de casas dos vários bairros visitados pelas equipes do Controle de Endemias e do Tiro de Guerra. Matheus Murbach, veterinário da Vigilância Epidemiológica de São Pedro, disse que houve grande colaboração da população, que permitiu a entrada das equipes nas casas e ouviu com atenção as orientações para evitar a proliferação dos mosquitos. Com praticamente todas as áreas da cidade atendidas pelos arrastões, as equipes agora voltam a priorizar as nebulizações, que tem objetivo de matar os mosquitos. Locais públicos e com grande concentração de pessoas, como escolas e unidades de saúde serão atendidos. O trabalho de bloqueio das casas e da vizinhança de moradores com casos confirmados da doença continua sendo realizado pelos agentes do Controle de Endemias. Com o início do Outono, a tendência, de acordo com autoridades sanitárias, é o do número de casos de dengue começar a diminuir. O pico de casos em todo o Estado de São Paulo é esperado entre a última semana de abril e o início de maio. ESTADO – O número de casos confirmados dengue no Estado de São Paulo até o dia 22 de abril -  222.045 casos em 645 municípios  - é o maior já registrado na série histórica disponível, iniciada em 1986. Em 2015, a doença já provocou 125 mortes e há outras 90 sob investigação. Os dados são do Centro de Vigilância Epidemiológica Estadual. Para combater a doença, valem as medidas conhecidas pela maioria: manter as caixas d’águas e outros recipientes de armazenamento de água fechados; colocar as garrafas com a boca para baixo; não deixar a água acumulada sobre a laje ou calhas; manter a lixeira fechada; colocar areia nos pratos das plantas, armazenar pneus e brinquedos em áreas cobertas e trocar sempre a água colocada em vasilhas para animais. É preciso ficar atento para situações que aparentemente podem não oferecer riscos, mas, se não forem cuidadas, podem se transformar em “berçário” de mosquitos, como por exemplo lonas usadas para cobrir material de construção e pequenas tampas plásticas deixadas em locais descobertos. Em caso de suspeita de criadouros de dengue, o Controle de Endemias pode ser acionado pelo telefone 3481 9370 ou 3481 9371.   NÚMEROS – Balanço do dia 28 de abril indica que há em São Pedro 157  casos confirmados de dengue. Exames que apresentaram resultado negativo são 80. Os sintomas da dengue só começam a surgir após o período de incubação, que pode durar de 3 a 15 dias. Os principais sintomas da doença são febre, dor de cabeça, dor atrás nos olhos, dores no corpo e manchas pelo corpo. Na forma hemorrágica, além dos sintomas citados o paciente pode ter sangramentos e em alguns casos, choque e morte. Em caso de suspeita de dengue, o serviço de saúde mais próximo deve ser procurado imediatamente. É importante ressaltar que não existe transmissão por meio de contato direto de um doente com uma pessoa sadia. O vírus também não é transmitido pela água ou alimentos.
  • Publicar no Facebook
  • Publique um Tweet no Twitter
  • Enviar por e-mail
  • Copiar URL curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
VLibras botão
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo da Prefeitura de São Pedro pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.