(19) 3481.9200
13/09/2017

Vigilância em Saúde faz orientações sobre escorpiões

Com a chegada dos meses mais quentes do ano e a ocorrência de casos na região, a Vigilância em Saúde faz um alerta à população em relação aos cuidados com o escorpião.

O escorpião tem hábitos noturnos e ataca somente quando se sente ameaçado. Alimenta-se de insetos, principalmente de baratas, e se multiplica nos locais onde há alimento abundante. Ficam abrigados em terrenos baldios com mato e lixo doméstico, em pilhas de tijolos e pedras, telhas e monte de lenha. Dentro de casa são encontrados em lugares escuros, úmidos, buracos e frestas de parede, muros, rodapés, assoalhos e forros de madeira.

A picada do escorpião provoca dor imediata e intensa, com sensação de ardor, queimação ou agulhadas. Pode causar ainda aumento da pressão arterial, suores intensos, enjoos, vômitos, diarreia e dor abdominal, agitação, arritmias cardíacas, edema pulmonar, alterações neurológicas e choque. As crianças são mais sensíveis às alterações provocadas pelo veneno, por isso é muito importante a urgência no atendimento.

Em caso de ataque, a pessoa deve lavar o local da picada com água e sabão, fazer compressas mornas e se dirigir o quanto antes à uma unidade de saúde.

O controle de acidentes com escorpiões baseia-se em evitar condições propícias para o abrigo e a proliferação destes animais. Desta forma, a população deve estar atenta para evitar acúmulo de entulhos (telhas, tijolos, madeiras e lenhas) e lixos perto de casa; manter os quintais e jardins limpos; tapar buracos e frestas existentes na residência; Instalar telas nas portas e janelas; limpar constantemente ralos de banheiros e cozinhas; examinar roupas e calçados antes de usar; utilizar botas e luvas nos serviços de jardinagem ou quando manipular materiais de construção.

PIRACICABA É REFERÊNCIA NO ANTÍDOTO – Por orientação da Secretaria Estadual de Saúde, o antídoto para atender toda a região fica armazenado na Santa Casa de Piracicaba. É importante que toda pessoa picada por escorpiões seja encaminhada ao atendimento médico e, se possível, levar o escorpião para identificação. A rapidez de atendimento em acidentes com qualquer animal peçonhento é de extrema importância.

 A toxicidade do veneno do escorpião pode variar de pessoa pra pessoa e o tratamento é individual. Nem todos pacientes necessitam de soro (antídoto).

O Controle de Endemias de São Pedro trabalha no controle de escorpiões realizando vistoria nos imóveis, quando solicitado pela população, orientação sobre prevenção de acidentes e captura de escorpiões em áreas com infestação.

É importante que todos que encontrarem escorpiões notifiquem este aparecimento ao Controle de Endemias, para que os locais de infestação possam ser monitorados e o controle seja feito por meio de capturas.

Os técnicos do Controle de Endemias explicam que o controle químico no ambiente é contraindicado por causar o desalojamento dos escorpiões para locais não expostos à ação desses produtos, aumentando o risco de acidentes. Além disso, cria-se a falsa sensação de proteção por parte dos moradores que acreditam que o problema foi resolvido, passando a negligenciar o trato com o ambiente. Até o presente momento não foi definida cientificamente a eficácia dos produtos químicos no controle escorpiônico em ambiente natural.

Translate »