(19) 3481.9200
11/05/2018

Segundo módulo de ETE começa a ser construído

Capacidade de tratamento de esgoto será dobrada; operação terá início este ano

As obras de construção do segundo módulo da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Samambaia, que vai garantir o tratamento de outros 20 mil habitantes e portanto dobrar a capacidade atual do primeiro módulo já construído, tiveram início esta semana.

A DT Engenharia, vencedora da licitação da obra que será feita com recursos do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), vai instalar 112 estacas para a construção da estrutura. A estimativa é de duração de 8 meses e o investimento é de R$ 4 milhões, com a geração de 30 empregos diretos no setor da construção civil.

O vice-prefeito e diretor-presidente do Saaesp (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro), Thiago Silva, fez uma visita ao local acompanhado do vereador Gilberto Vieira e de engenheiros da empresa. “Com a construção deste segundo módulo, a capacidade de tratamento de esgoto vai dobrar, destacou. O ganho para o Meio Ambiente também foi abordado por Thiago.

“Este é um marco para a história de São Pedro”, afirmou.

A contratação de mão de obra local será prioridade para a empresa, segundo o vice-prefeito. “O serviço de terraplenagem, por exemplo, foi feito por uma empresa de São Pedro”.

O primeiro módulo da ETE, que está localizada nas proximidades da rodovia que liga São Pedro a Charqueada, deve começar a funcionar neste primeiro semestre.

O grande volume de recursos investidos no local foi destacado pelo prefeito Helinho Zanatta. “Este trabalho teve início há bastante tempo, com elaboração de toda documentação, projetos e solicitações de recursos ao Fehidro. A obra concretizada em sua primeira etapa e o início do segundo módulo é o resultado de todo este empenho e que vai beneficiar toda a população com melhora da qualidade de vida”.

ESTAÇÃO COMPACTA – O processo de tratamento que vai funcionar na ETE Samambaia é considerado um dos mais modernos, com medição de vazões, tratamento preliminar (sujeiras grossas), tratamento secundário, concepção integrada de reatores aeróbios e anaeróbios, queima de gás, desinfecção e tratamento do lodo gerado, além de estação elevatória, 2.500 metros de linha de recalque e 80 metros de coletor de interligação.

Desde 2015, o Saaesp recebeu R$ 20,3 milhões em recursos do Fehidro. Além das obras destinadas ao tratamento de esgoto, estão nesta lista outras obras importantes como a construção da Estação de Tratamento de Lodo, que garante economia de 2,4 milhões de litros de águas por mês, antes descartados após a lavagem dos filtros utilizados no sistema de tratamento de água da ETA (Estação de Tratamento de Água) 1, responsável pelo abastecimento de 70% de São Pedro.

Translate »