(19) 3481.9200
06/07/2018

Desfile e solenidade celebram 9 de julho em São Pedro

Desfile com saída, às 9h, da praça do Fórum, marca o início do evento

A Prefeitura de São Pedro e a Sociedade de Veteranos de 32 – MMDC realizam na segunda-feira a solenidade de homenagem aos combatentes de 9 de julho, data em que se celebra a Revolução e o Soldado Constitucionalista.

A solenidade acontece a partir das 9h, com desfile que terá início no monumento dedicado aos revolucionários, na  praça Adolpho Bonifácio Bragaia, a praça do Fórum, e contará com a presença de familiares dos combatentes, além de autoridades da cidade. O início será com um desfile dos integrantes da 3ª Companhia da Polícia Militar, dos atiradores do Tiro de Guerra de São Pedro e do grupo de escoteiros Japopici, acompanhados pela Corporação Musical União Charqueadense e Banda de Música da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, de Campinas, que seguem até o Museu Gustavo Teixeira, local da cerimônia.

Para celebrar a data serão entregues diplomas “José Augusto Escobar”, referência a um dos revolucionários que se alistou por São Pedro e faleceu defendendo seus companheiros. Recebem o diploma este ano Subtenente Vagner Guilherme da Silva, capitão PM Bruno César Penna Gobbo, 1º Sargento PM Ricardo Sanches Migatta, Subtenente PM Edivar Tadeu Reizer, General de Exército João Camilo Pires de Campos, 1º Sargento PM Antonio Marcos de Oliveira Franco, Cabo PM Mohamad Abou Árabe Rodrigues, Cabo PM Márcio Adriano Franco e comandante GCM Paulo Sérgio Avella.

O diploma “Professora Ondina Mendes Parreira”, criado em 2017, será entregue este ano a Miriam de Souza Silva, Márcia Regina Nicoletti da Fonseca, Sandra Golinelli, Neusa Conceição Domingues, Fabiana Franco Alves, Rosemar Lopes Ribeiro, Giane Maria Adorno de Mirando Sacco, Badauí Nasser Matriz e Gentila Iolanda da Silva Frare (in memorian).

CONCURSO – Pelo terceiro ano consecutivo, a rede municipal de ensino promoveu o Concurso de Redação sobre a Revolução Constitucionalista. A proposta feita aos alunos foi para que eles descrevessem situações vividas no campo de batalha, no dia-a-dia dos combatentes.

O professor Paulo Tarso de Oliveira Pereira, coordenador da Emeb Celso Silveira Melo, conta que o tema faz parte da grade curricular, mas os professores de história aprofundaram o assunto relatando ocorrências de São Pedro, que teve 27 combatentes. “Todos estes detalhes mostram que São Pedro fez parte de todo o processo”, disse. Paulo é um dos organizadores da exposição que está no Museu com materiais alusivos à revolução produzido por alunos e professores.

A supervisora de ensino do município e vice-presidente do MMDC de São Pedro, professora Maria Aparecida Fracasse de Barros, gostou dos trabalhos apresentados. “De diferentes maneiras, os alunos apresentaram importantes referenciais para a época”, disse.

Participaram alunos dos nonos anos das escolas municipais, com 333 trabalhos concorrentes. Na solenidade, serão premiados três alunos. As redações também vão estar na exposição.

Outra novidade na programação deste ano é a inauguração da Sala “São Pedro: Imagens e Passagens”, que aborda vários temas relacionados à história e cultura da cidade.

É uma homenagem aos antigos combatentes da Revolução Constitucionalista de 1932, ao bordado, ferrovia  e ainda à professora Gentila Iolanda Frare.

HISTÓRIA – Nascida em São Pedro aos 25 de outubro de 1939, Gentila formou-se em História pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, lecionando não só em São Pedro, como em Rio das Pedras, Águas de São Pedro, Charqueada e Itirapina. Em sua carreira do magistério foi também vice-diretora e diretora da Escola Gustavo Teixeira.

De sensibilidade aguçada, observadora e perspicaz, Gentila tornou-se expert em escrever perfis de pessoas amigas e de figuras folclóricas da terra.  Estarão em exposição, além de seu retrato, vários objetos pessoais como toalha de mesa, conjunto de porta-guardanapos, leque, conjunto de abridores de cartas e outros.

Após a cerimônia, as autoridades e familiares irão prestar homenagem no jazigo do herói revolucionário José Augusto Frota Escobar, nascido em São Pedro e que morreu em combate.

EXPOSIÇÃO – Réplicas de trincheiras, metralhadoras, fuzis, bombas e balas de canhão usadas na batalha de 32, além de maquetes com locais do conflito e reprodução de fotos e cartazes da época podem ser vistas na exposição no Museu Gustavo Teixeira e retrata a Revolução de 32. O material é resultado de trabalhos feitos pelos professores de história dos nonos anos.

Translate »